O CONTO – PARTE I

Parte I

O incêndio e a recuperação

 

A Casa do Conto nasceu em 2008, dando corpo a um projecto original no seio do crescente parque hoteleiro do Porto. Infelizmente, um fatídico incêndio, em Março de 2009, interrompeu esse processo, mas não a vontade colectiva de o concretizar. E foram muitos, aqueles que, então, generosamente, quiseram homenageá-lo e apoia-lo. Eis que a Casa ressurge agora, completamente reabilitada, propondo-se, uma vez mais, contrariar a usual oferta residencial da cidade, cada vez mais genérica e impessoal.

 

A Casa do Conto relata-nos uma história única de vida, que é, afinal, a história da própria cidade em mudança. Nela, destaca-se a arquitectura doméstica, solene e vertical, característica do século XIX portuense, marcada pelas cicatrizes desse tempo que medeia o seu declínio e renascimento, a memória do passado e o desejo de futuro, o granito das velhas fachadas e o novo betão cru da escadaria e dos tectos. Trata-se, na verdade, de uma “arquitectura fóssil” que ganha vida.

A Casa do Conto relata-nos uma história única de vida, que é, afinal, a história da própria cidade em mudança.

Gravados por textos diversos, e cobrindo seis quartos distintos, esses tectos “falam-nos” das mudanças sofridas pelo próprio conceito de “casa”, e desta casa em particular. Redigidas por autores, ligados à escrita sobre a cidade e a sua arquitectura – Filipa Leal, Álvaro Domingues, Jorge Figueira, André Tavares, Pedro Bandeira e Nuno Grande –, as seis missivas foram cofradas e recortadas, em baixo relevo, com base numa distribuição proposta pelo colectivo de arquitectos Pedra Líquida – autores do projecto – e imaginada graficamente pelos criativos da R2 Design. Esta solução, que assinala a diferença de personalidade de cada um dos espaços, foi já destacada entre os 2011 SEGD Design Awards, tendo ainda recebido o Golden Award do European Design Awards, na categoria “Signs & Displays”.

 

A Casa do Conto aposta num conceito hoteleiro inovador – arts & residence –, oferecendo um estilo de residência personalizado e dirigido a hóspedes que desejem aliar o seu descanso ao usufruto da oferta cultural do Porto, ou que ali pretendam criar, expor ou debater a cidade que visitam.

Também por isso, nela prevê-se uma programação regular de eventos, em articulação com diferentes criadores, curadores, grupos e instituições culturais da cidade. Para o período de abertura, a Casa do Conto estabeleceu uma parceria com a livraria/galeria Inc. livros e edições de autor.

 

Venha descobrir a Casa do Conto, na Rua da Boavista, no circuito entre a Casa da Música e a Rua Miguel Bombarda, a caminho da Baixa do Porto, entre as Estações de Metro da Lapa e de Carolina Michaëlis.

O-Conto-Parte-1---imagem2-

Na porta deste nº 703, lê-se “foi 513”; a Casa ressurge, assim, uma e outra vez, com a mesma fachada e o mesmo batente de mão de ferro, que persiste em devolver à cidade, as memórias que ela não deseja esquecer.